Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019    Responsável: Jota Oliveira    Fone: 67 9988-5920

MS é destaque em milho, mas estimativa é de queda na safra de soja


As estimativas foram divulgadas nesta quinta-feira, pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento)
Colheita de soja em 2018, na região de Dourados. (FOTO: Arquivo/Campo Grande News)

 

A previsão para a safra 2018/2019 coloca Mato Grosso do Sul em destaque em produção de milho e cana-de-açúcar. As estimativas foram divulgadas nesta quinta-feira, pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).

Já na produção de soja em grão, a previsão é queda para Mato Grosso do Sul, de menos 1,1%. Paraná também deve ter redução de 0,5%, Minas Gerais deve perder -1,1%.

Em abril, a projeção sobre produção de cereais, leguminosas e oleaginosas foi estimada em 231,5 milhões de toneladas, 2,2% superior à safra de 2018, com estimativa da área a ser colhida de 62,3 milhões de hectares, 2,2% maior que a de 2018. Nessa conta, Mato Grosso do Sul aparece em 5º lugar em crescimento, com 8% positivos.

Na 2ª safra de grãos, o Estado é destaque também em milho. Na produção total de 65,8 milhões de toneladas, Mato Grosso do Sul deve ter desempenho superior à média nacional de 0,7%. Os aumentos mais expressivos em volume de produção são indicados em Rondônia, 18,9%, ou 126,0 mil toneladas, seguido por Mato Grosso do Sul com 2,0% de incremento ou 190,0 mil toneladas a mais.

O Brasil deve ter a segunda maior colheita de milho dos últimos anos, com 95 milhões de toneladas na 2ª safra. O resultado positivo também é consequência das chuvas dos últimos meses nas regiões produtoras.

O plantio das culturas de inverno deve se intensificar a partir de agora, mas a área plantada em geral apresenta queda de 2,8% no País. Mas o Estado apresenta crescimento em aveia. Mato Grosso do Sul, terceiro maior produtor do cereal, deve crescer 13,2% na safra 2018/2019.

Em cana, a produção deve chegar a 688,6 milhões de toneladas no Brasil, alta de 1,7% em relação a março. As principais alterações ocorreram em Minas Gerais e Mato Grosso do Sul, com crescimento de 15,0% e 3,1%, respectivamente. O motivo apontado para recuperação dos canaviais também é retorno das chuvas.

Levando em consideração as três principais safras de grãos do País, apenas o milho deverá ter crescimento em relação a 2018 (12,6%). A soja deverá queda de 4,4% e o arroz, de 10,6%.

No Brasil, em números gerais, os destaques em números absolutos ficam para as safras de cana-de-açúcar (11 624 040 t), milho 2ª safra (446 257 t), trigo (363 308 t), sorgo (233 809 t), algodão herbáceo (113 583 t), milho1ªsafra (108 368 t), soja (88 687 t), cevada (46 350 t), aveia (32 330 t) e castanha-de-caju (5 921 t). (Com informações Campo Grande News).

 


Fonte: Campo Grande News